Menu

11 de setembro de 2014

Quando me senti uma perdedora.

LOSER

     Ontem, depois de alguns anos, uma amiga minha dos tempos de escola veio falar comigo. Hoje em dia, com a internet, é bem assim, né? A pessoa simplesmente manda um "Oi!", diz que ta morrendo de saudades e parece que o tempo não passou... Mas só parece!
     Depois de uma conversa bem rápida (com as redes sociais nem tem muito assunto novo, pois tudo é postado e todos ficam sabendo), ela falou de combinarmos de sair. Algo super normal, mas que me deixou apreensiva por um momento. Soltei um "Claro, só marcar!", e rezei internamente pra que nossa conversa fosse esquecida.
     Me sinto até boba, mas a verdade é que me senti pressionada por esse reencontro com o passado. Em questão de poucos minutos eu consegui listar uma infinidade de coisas que eu não consegui melhorar em mim, coisas que não consegui alcançar na vida.
     Pensei em como seria constrangedor chegar no Shopping tendo sido levada pelos meus pais, enquanto ela já esta motorizada. Me imaginei explicando que tirei carta, mas não dirijo. Tentei lembrar se eu estava mais magra na última vez que nos vimos, ou se meu cabelo estava melhor. Fiquei irritada por estar sem emprego bem nesse momento, talvez se ela tivesse vindo até mim há um tempinho atrás...

     Lembrei de outras vezes que isso aconteceu, o rumor de que alguém ia casar e, no lugar de ficar feliz por ter um local pra reencontrar os amigos, apenas fiquei torcendo pra ter tempo o suficiente pra fazer uma dieta maluca e entrar num vestido sem parecer uma hipopótamo. E fiquei tentando recordar de alguma conquista boa o suficiente pra que todos ficassem impressionados.
     Momentos que deveriam me deixar super feliz, só me entristecem. Me fazem perceber como a minha auto-estima esta tão lá embaixo e como muitas vezes me iludo. Fico buscando uma vida melhor, mais evoluída e real, só pra no fim perceber que muito da minha felicidade e bem-estar ainda esta relacionado com o que os outros vão pensar, achar ou dizer...
     Confesso que ainda estou triste. Aliás, agora que refleti sobre o que (e principalmente o porque) aconteceu, me sinto ainda mais desanimada. Porém gosto de pensar que isso é algo bom, ás vezes só aprendemos pelo modo mais difícil e doloroso. Perceber que eu me iludi, enquanto acreditava estar melhor comigo mesma, faz com que eu possa mudar essa situação.

      Uma coisa que ajuda, é contar essa história pra mim mesma, como se fosse outra pessoa que estivesse passando por ela. Pois tenho costume ser mais paciente e compreensiva com os outros do que comigo. Sou o tipo de pessoa que, ao ouvir esse relato de alguém, vou listar todas as qualidades e conquistas dela. Mesmo se ela não tiver muitas eu aumento as que ela tem e dou desculpas para as que não conquistou. E é isso o que eu vou fazer comigo agora (só até eu me reerguer pra mudar essa situação), porque to precisando muito de um colo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...